Febre Amarela

O que é a febre amarela?

É uma doença infecciosa febril aguda, causada por um arbovírus (vírus transmitido por artrópodes), que pode levar à morte em cerca de uma semana, se não for tratada rapidamente.

Os casos de Febre Amarela (FA) no Brasil são classificados como febre amarela silvestre ou febre amarela urbana, sendo que o vírus transmitido é o mesmo, assim como a doença que se manifesta nos dois casos, a diferença entre elas é o mosquito vetor envolvido na transmissão.

Na FA silvestre, os mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes transmitem o vírus e os macacos são os principais hospedeiros; nessa situação, os casos humanos ocorrem quando uma pessoa não vacinada adentra uma área silvestre e é picada por mosquito contaminado. Na FA urbana o vírus é transmitido pelos mosquitos Aedes aegyptii ao homem, mas esta não é registrada no Brasil desde 1942.

Na imagem, é possível entender melhor como funciona o ciclo de transmissão do vírus da Febre Amarela:

Qualquer pessoa está em risco de contrair febre amarela silvestre?
Sim. Qualquer pessoa sem ter sido vacinada que viva ou visite áreas onde há transmissão da doença, pode ter Febre Amarela, independentemente da idade ou sexo.

A febre amarela é contagiosa?
A doença não é contagiosa, ou seja, não há transmissão de pessoa a pessoa. É transmitida somente pela picada de mosquitos infectados com o vírus da febre amarela.

Quais os sintomas da Febre Amarela?
Os sintomas iniciais incluem febre de início súbito, calafrios, dor de cabeça, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Em casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. Cerca de 20-50% das pessoas que desenvolvem doença grave podem morrer.

Vale chamar atenção para um detalhe: A Febre Amarela pode levar à morte em cerca de uma semana, se não for tratada rapidamente.

Como se manifesta a Febre Amarela?
O período em que o vírus irá se manifestar no homem varia de 3 a 6 dias, após a picada do mosquito infectado, podendo se estender até 15 dias. A maioria das pessoas apresenta melhora após os sintomas iniciais, no entanto cerca de 15% apresentam apenas um breve período de horas a um dia sem sintomas e, então, desenvolvem uma forma mais grave da doença.

Esse homem doente pode servir como fonte de infecção para outros mosquitos transmissores durante no máximo 7 dias (entre 24 a 48 horas antes do aparecimento dos sintomas até 3 a 5 dias após).

Nos casos que evoluem para a cura, a infecção confere imunidade duradoura. Isso quer dizer que você só pode ter febre amarela uma vez na vida.

O que você deve fazer se apresentar os sintomas?
Depois de identificar alguns dos sintomas, procure um médico na unidade de saúde mais próxima e informe sobre qualquer viagem para áreas de risco nos 15 dias anteriores ao início dos sintomas e se você observou mortandade de macacos próximo aos lugares que você visitou. Informe, ainda, se você tomou a vacina contra a febre amarela, e a data.

Como a febre amarela é tratada?
Não há nenhum tratamento específico contra a doença. O médico deve tratar os sintomas, como as dores no corpo e cabeça, com analgésicos e antitérmicos. Salicilatos devem ser evitados (AAS e Aspirina), já que seu uso pode favorecer o aparecimento de manifestações hemorrágicas. O médico deve estar alerta para quaisquer indicações de um agravamento do quadro clínico.

Importante: Somente um médico é capaz de diagnosticar e tratar corretamente a doença.

Como a doença pode ser evitada?
A forma de proteção mais eficaz contra a febre amarela é a vacinação, importante ferramenta na eliminação da febre amarela urbana do país. Outras medidas, como combate aos vetores também são importantes, mas de difícil execução e, portanto, pouco práticas. Recomenda–se a proteção individual com o uso de repelentes e telas anti-mosquitos, entre outros cuidados, como fundamentais para a prevenção também de outras arboviroses no Brasil (dengue, chikungunya e zika). No Brasil estão disponíveis duas vacinas: a produzida por Biomanguinhos – Fiocruz, utilizada pela rede pública e a produzida pela Sanofi Pasteur, utilizada pela rede privada. Ambas tem perfis de segurança e eficácia semelhantes, estimados em 95%.

Para quem é recomendada a vacina?
• Para residentes em áreas com recomendação para vacinação (mesmo que temporária) e para indivíduos que se deslocam para estas áreas: vacinar todos entre 9 meses a 59 anos de idade, desde que não apresentem contraindicação.
• Para indivíduos em viagens para países que exigem a vacinação, segundo o Regulamento Sanitário Internacional: vacinar todos entre 9 meses a 59 anos de idade, pelo menos 10 dias antes da viagem , desde que não apresentem contraindicação. Nesses casos, e também para pessoas com idade acima de 60 anos, deve-se emitir o certificado de isenção da vacinação contra febre amarela com a justificativa da isenção, documento esse que permite a entrada de não vacinados nos países que exigem o CIVP de pessoas provenientes de regiões endêmicas.
• Para indivíduos residentes em áreas onde há casos de epizootias (febre amarela em macacos) ou casos da doença em humanos e para indivíduos que se deslocam para estas áreas: vacinar todos entre 9 meses e 59 anos de idade, desde que não apresentem contraindicação. ​

Quais são as contraindicações para a vacina da febre amarela?
A vacina é contraindicada para crianças menores de 6 meses; idosos acima dos 60 anos; gestantes; mulheres que amamentam crianças de até 6 meses; pacientes em tratamento com quimioterapia e doses elevadas de corticosteróides; pessoas com alergia a ovos ou algum componente da vacina; e pessoas com doença febril aguda, com comprometimento do estado geral de saúde. A vacina também não deve ser aplicada em indivíduos portadores de lúpus Eritematoso Sistêmico ou com outras doenças autoimunes; pacientes que tenham apresentado doenças neurológicas de natureza desmielinizante (Síndrome de Guillan Barré, entre outras); pacientes transplantados de medula óssea; pacientes com histórico de doença do Timo; e pacientes portadores de HIV. O Ministério da Saúde recomenda que estas pessoas adotem medidas preventivas a picada do mosquito, tais como uso de repelente de insetos; uso de mosquiteiros/telas; proteção da maior extensão possível de pele através do uso de calça comprida, blusas de mangas compridas e etc.

Qual o esquema de doses?
Em abril/2017, o Ministério da Saúde, em consonância com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), passou a adotar dose única da vacina febre amarela em todo o país para todas as faixas etárias. No entanto, dados recentes na literatura sugeriram a necessidade de uma revisão na recomendação.

Para 2020, o Ministério da Saúde recomenda uma dose de reforço para crianças vacinadas entre 9 meses e 4 anos.
Segue orientações para vacinação:

Importante dizer que essas medidas, adequadas nesse momento para controle da situação epidemiológica que vivemos hoje, podem não ser definitivas e serão revistas pelo Programa Nacional de Imunizações. Em caso de viagem a países que exigem o CIVP, o Regulamento Sanitário Internacional exige que a vacinação seja realizada pelo menos 10 dias antes da viagem. Sugerimos que verifique atualizações desta informação no site da ANVISA.​

21 97047-7121